Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quase Um Blog

isto não é um blog

Quase Um Blog

isto não é um blog

Os 24 dos 24

#1 - Item 13

M.R., 12.10.20

Os 24 dos 24.png

Está em décimo terceiro lugar da minha bucket list para este ano, mas foi o primeiro item que risquei da lista (tecnicamente, o segundo, mas isso fica para outro post):

Ler o "Manhãs Milagrosas" de Hal Elrod.

24. 13.png

 

Como vos prometi, estou a revelar-vos a lista, pedacinho a pedacinho. E como podem ver, eu, senhora dona naba, escrevi que queria "ler o SAVERS". Permitam-me que me explique: descobri este livro quando, a navegar na internet como a surfista da banheira que sou, me cruzei com um artigo que mencionava a importância de uma rotina matinal. Eu considero-me uma pessoa matinal e gosto de rotinas, por isso li o artigo na íntegra.

O artigo fazia referência à rotina matinal do autor e sumarizava-a - as Manhãs Milagrosas de Hal têm as seguintes etapas: Silêncio, Afirmações, Visualização, Exercício, Leitura (reading) e Escrita (scribbling), fáceis de memorizar com o acrónimo SAVERS (em português "salvadores", apesar de o termo ser traduzido no livro para "Práticas Salva-vidas"). Isto pareceu-me interessante e ficou-me na cabeça. Na altura em que redigi a lista, não me lembrava do nome do livro ou do autor, de maneira a que... improvisei. Felizmente, o Google ajudou-me a descobrir o título que acabei por comprar pouco tempo depois!

Se foi, talvez, um pouco batota fazer um dos meus objetivos apenas ler um livro? Sim. E não.

Se leram o meu post inicial, então já sabem que o propósito deste desafio é fazer-me "crescer", evoluir. E a verdade é que, desde que acabei a universidade e estou à espera de começar a trabalhar em Janeiro, me tenho sentido um pouco perdida. Os dias têm sido estranhos e pouco produtivos, tenho sentido dificuldade em definir os meus objetivos e feito as coisas sem um propósito. Sentia falta de uma rotina, e julguei que ler o livro talvez me inspirasse a seguir uma ou criar a minha.

E assim foi.

Opinião honesta? Não é o melhor livro que li na vida. O próprio autor anuncia num dos capítulos iniciais que ele não é um escritor, é apenas alguém com experiência em life coaching e adepto de desenvolvimento pessoal que quer partilhar o seu método (que já ajudou milhares de pessoas em todo o mundo). Se a leitura não é a mais agradável, certamente não é terrível - é uma leitura fácil e rápida. O que menos gosto neste livro é a repetição e a redundância, que se tornam cansativas. Mas adorei o conceito da Manhã Milagrosa e acho que sou capaz de adotar esta rotina. Tem diversos elementos que pertenciam à minha rotina de estudante universitária, e outros que sinto que me vão ser benéficas daqui para a frente e ajudar-me a criar a pessoa que quero ser.

Recomendo a leitura (ou, se como eu não gostarem de ler 200 páginas repetitivas, que peçam o resumo a alguém que o leu ) a todas as pessoas que gostavam de experimentar algo novo e que procuram maneiras de melhorar a sua vida!

4 comentários

Comentar post